saudades que não se apagam...


faz 5 anos que nos despedimos pela última vez...
com um até amanhã, que acabou por nunca chegar!

terei sido eu a última pessoa a trocar palavras consigo??? disse-me em jeito de despedida "e agora quem é que vai cuidar de vocês?", respondi "não diga essas coisas, não se esqueça que tem que beber água, nada de ser teimosa, olhe que nós precisamos muito da avó... nunca se esqueça que gosto muito de si!".
assim que cruzei a porta as lágrimas rolaram cara abaixo como se antecipasse a noticia que iria receber poucas horas depois. só voltei chorar muitos dias depois, foi intolerável a perda e ainda é...
tenho saudades suas, cada vez mais, acho que nunca vão extinguir-se a tendência é ter sempre mais. por outro lado, continuo a senti-la perto como se aquele dia 21, de 2002 não tivesse existido, perto como quando ia passar férias com a avó na terra, como quando a visitava ao fim de semana, como quando a primeira frase que me atirava assim que entrava lá em casa era "nunca vens visitar a avó!" mas eu ia, era no momento que chegava que a avó se permitia dizer-me isso... mas a avó sabia que embora não fosse lá a casa tantas vezes quantas as que gostaria, não me esquecia de si nem por um minuto sequer...

escrevo-lhe hoje para lhe dizer que o que foi verdade até aos meus 25 anos
não vai mudar nunca, nem um milimetro,
pelo menos até ao dia em que voltarmos a juntar-nos outra vez...
gosto-te hoje, sempre e para sempre, !

Comentários

Mensagens populares deste blogue

...

como tu nunca...