segunda-feira, maio 25, 2009

importante é eles (alunos/crianças/jovens) não fazerem tudo o que querem, mas quererem tudo o que fazem!

eduoard claparede

sábado, maio 23, 2009

noite com alma

a noite começou em negrais, com direito a leitão e tudo, companhia de colegas de trabalho e amigos (professores e auxiliares da escola), regada com uma sangria maravilhosa, muitas estórias, gargalhadas e sorrisos.
de amarelo segui até casa da raka e do ima, onde tive o prazer de conhecer a D. Ana, uma querida, só podia, afinal é mãe dos dois. seguimos para o soul club, desta vez já de amarelo (eu e a raka, sem combinar nem nada) e roxo (o ima), só podia ser bom pressagio já que são cores complementares. o ambiente era bom, não se fumava onde não era permitido (problema para mim que tive que cumprir a lei, toda a gente sabe que as leis foram feitas para serem quebradas, mas não gosto de ser eu a dar o mote)! a música tinha alma (nem todas, mas a maioria), a pista estava cheia...
o ima espalhava magia (a lembrar os tempos do loft com os pandinhas logo ali ao virar da esquina) a raka e eu observávamos as movimentações (o decoro assim o exige) enquanto embalávamos no som da música e comentávamos as inúmeras possibilidades que o J.V. teria de encontrar ali um modelo para as tais fotos, chegámos a pensar em iniciar o casting... mas as horas já iam avançadas e verificámos que não havia tempo... assim sendo e uma vez que o ima tinha que se levantar cedo ;D, demos a noite por encerrada, com toda a alma possível e com a promessa de voltar, verdade raka?






pensamento do fim do post: saudades das noites do loft que acabavam ao som do time of my life quando o sol já ia alto... parece que a idade não perdoa, ou então foi só um intervalinho... é que o tamariz está prestes a reabrir!!!

sexta-feira, maio 22, 2009

em conversa com uma mãe...

... eu nasci portuguesa, só quando vim para portugal é que deixei de o ser.
pensei é estranho, para não dizer vergonhoso, roubarem a nacionalidade a alguém quando veio viver para a sede do "império"!

p.s. voltarei ao tema quando tiver oportunidade

quinta-feira, maio 21, 2009

quem vai a abrantes deixa Tomar atrás...

foi este o lindo ditado popular com que me brindaram quando contei a uma amiga onde tinha passado os últimos 3 dias. para não variar soltei uma gargalhada. foi tudo di bom. a actividade, os mininu, a animação, a equipa... nem me apetece contar vou guardar tudo para mim!!!

domingo, maio 17, 2009

e se o antónio lobo antunes te oferecer um livro...

... isso é o momento mágico do dia!!!
ir à feira do livro é um ritual que se repete ano após ano. tinha combinado fazê-lo hoje com um amigo. e foi mágico por muitos motivos... cheguei cedo e por isso aproveitei para comprar livro infantis com prefácio do coimbrita, como é que me tinham falhado estas edições. dirigi-me depois ao stand da bruáá e comprei o novo livro que me soou levemente a joão dos santos e à casa da praia...


segui até à orfeu negro para cumprimentar um amigo de há muito, ilustrador que muito aprecio (ver mais aqui) para lhe perguntar se podia utilizar uma dos seu desenhos neste post (sim já nessa altura sentia que a tarde passada na feira do livro se iria tornar memorável) e se caso eu escrevesse uma história ele poderia fazer uma ilustração, anuiu ao meu pedido de imediato e segui até ao final do corredor cheio de pessoas e de livros enquanto pensava que apesar da crise a feira estava cheia e isso só pode ser um óptimo sinal. entretanto, bip bip, era o d. acabadinho de chegar, combinámos o local de encontro e sentei-me num banco de jardim, afastada da confusão tendo por companhia um senhor que ouvia atentamente a partir de um rádio roufenho a homilia de comemoração dos 50 anos da inauguração do cristo-rei. entreti-me a ler as aquisições, subitamente levanto olhar e reparo numa menina que sorria para mim do seu carrinho empurrado pela mãe. sorri de volta e voltei a mergulhar na história à espera... já acompanhada dirigimo-nos à leya e fomos escolhendo livros até chegar aos 8 que na compra de 4 ofereciam o mais barato enquanto criticava aquele espaço que me parecia confuso, pouco convidativo. aí percebi que o lobo antunes estava a autografar os seus livros e à falta de um quarto busquei o arquipélago da insónia já decidida a enfrentar a fila que se avolumava. a escolhas foram essencialmente de afecto zafron (a conselho da clau), miguel torga (a fazer lembrar o meu pai que este ano não pode vir) e os antónios; aleixo (do meu alentejo e porque sem instrução nos deixou este livro); lobo antunes (por estar ali, pelo afecto com que o ouvi falar no mais inusitado lançamento de um livro que há anos me fez sair do ispa em direcção a um teatro só para o ver falar, pela inteligência com que cede entrevistas). combinamos enfrentar a fila à vez vantagem de estarmos 2... enquanto eu ia pagar os livros, ele aguardava na fila dos autógrafos, depois trocávamos eu aguardava e ele buscaria outros livros noutros espaços. aguardei, aguardei aguardei, e fui percebendo que num curto espaço estavam isabel do carmo, fernando nobre, eduardo sá, eduardo agualusa estes foram os autores que consegui identificar. estavam duas pessoas à minha frente e chegou o d. que no entretanto tinha ido ao carro buscar as crónicas do lobo antunes que lhe emprestei no ano passado, assim com'ássim sempre levava 2 autógrafos... na mesma altura surpresa das surpresas li na capa de um livro pousado numa das mesas de autógrafos nuno júdice e veio-me à cabeça a anabela e os desejos especiais de uma páscoa feliz e azul (que na verdade só li mais tarde, desculpa)... chagada a minha vez pousei os 2 livros na mesa antónio, um é mais antigo mas se não se importar gostava que autografasse também, sem responder comentou para o lado enquanto afagava as paginas do meu livro "enquanto usarem este papel não é mau!" com o olhar perguntou o meu nome "teresa" e escreveu 1, outro, voltou a falar para o lado "oferecemos este a ela" sorri um sorriso largo com vontade de lhe saltar ao pescoço e disse "obrigada", antes de me levantar perguntei se lhe podia dar 2 beijinhos e agradeci novamente "pode" e sorriu com ternura e os seus olhos azul mar olharam os meus castanho chocolate... trocou palavras e cumprimentos com o d. foi... MARAVILHOSO!

modificado daqui mas confirmo também
esta tarde assisti ao momento calipo de morango


viemos embora não sem antes comprar mais 2 livros do nuno júdice que foram devidamente autografados para a anabela com amizade dele e minha!!!

ao telefone...

vendedor: bom dia Drª teresa fala do (nome da empresa) chegou a utilizar os nossos serviços no ano passado?
eu: bom dia! não!
v: porquê, drª teresa?
eu: esqueci-me de enviar a carta para marcar!
v: estou a telefonar à drª teresa porque hoje durante a tarde vamos voltar a oferecer-lhe um fim de semana, como a drª teresa já esteve connosco o ano passado, a drª teresa não vai ficar muito tempo, o objectivo é só a drª teresa ir lá e buscar o seu voucher, tem disponibilidade drª teresa?
eu: sim posso passar lá mas pode tratar-me só pelo nome
v: é prática aqui na empresa tratar as pessoas pelo titulo, drª teresa
eu: nesse caso terá que me tratar por mestre porque agora já não sou drª sou mestre!
v: muito bem mestre teresa (riso) drª teresa a que horas poderá passar por lá?
eu: por volta das 3, mas olhe que tal como no ano passado não vou comprar nada
v: não faz mal drª teresa queremos apenas dar-lhe a oportunidade de experimentar os nossos serviços!
eu: nesse caso, lá estarei!

a nossa senhora de fátima atenta à quantidade de mentiras que o vendedor teve oportunidade de me pregar, bem tentou impedir-me de chegar à expo, todos os caminhos estavam cortados entre o chiado, só que isso significava que também não havia passagem para a minha casa e teimosa como sou lá parei para perguntar a um polícia como poderia ir até stª apolónia e por curiosidade perguntei o porquê de tanta estrada cortada... o polícia disse-me que a causa estarem a transportar a nossa senhora até almada por causa da comemoração dos 50 anos do cristo rei, ao que respondi: valha-me deus!

... mais tarde já no hotel demorei 30 minutos a convencer a vendedora que não estava interessada no magnifico investimento que senhora me estava a propor, ora que estou muito mais convincente porque no ano passado demorei cerca de 1 hora até fazer o vendedor desistir que estava a perder tempo comigo!
o magnifico cartão que me estavam a propor com todas a excelentes vantagens, a senhora não primava pela inteligência, mas tinha a cassete muito bem estudada... dei-lhe todas as dicas para me tentar convencer, mas ela ignorou uma após outra e queria à força que eu desejasse viajar para a república dominicana, para o algarve e para o sul de espanha a preços fantásticos eu falei-lhe na india, em moscovo, na taliândia e a senhora continuava, mas não gostava de passar uma semana em agosto em albufeira ou em porto banaus (a senhora disse mesmo assim) ou na republica dominicana a preços fantásticos? não, já lhe expliquei que não! que esse sítios para já não me interessam... e um cruzeiro, eu fiz um cruzeiro fantástico no brasil tinha tudo no barco, apeteceu-me responder parabéns para si mas a educação não me permitiu... foi engraçado vê-la a insistir que me estava o oferecer um excelente, investimento depois de eu lhe ter dito 10 vezes que não ia comprar nada... da próxima vez se eles continuarem a insistir em oferecer-me fins de semanas no algarve, levo um dos meus putos e aposto como saímos de lá em 5 minutos! é que eles quando fazem cara de maus são mesmo convincentes ;)

o amor é muito mais simples...

...do que à partida nos pode parecer... os adultos é que só complicam!!!

«Quando a minha avó ficou com artrite, não se podia dobrar para pintar as unhas dos dedos dos pés. Portanto o meu avô faz sempre isso por ela, mesmo quando apanhou, também, artrite nas mãos. Isso é o amor.» Rebeca, 8 anos

«Quando alguém te ama, a maneira como pronuncia o teu nome é diferente. Tu sentes que o teu nome está seguro na boca dessa pessoa.» Billy, 4 anos

«O amor é quando uma rapariga põe perfume e um rapaz põe colónia da barba e vão sair e se cheiram um ao outro.» Karl, 5 anos

«O amor é quando vais comer fora e dás grande parte das tuas batatas fritas a alguém, sem a obrigares a darem-te das dele.» Chrissy, 6 anos

«O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado.» Terri, 4 anos

«O amor é quando a minha mamã faz café ao meu papá e bebe um golinho antes de lho dar, para ter a certeza de que o sabor está bom.» Danny, 7 anos

«O amor é estar sempre a dar beijinhos. E, depois, quando já estás cansado dos beijinhos, ainda queres estar ao pé daquela pessoa e falar com ela. O meu pai e a minha mãe são assim. Eles são um bocado nojentos quando se beijam.» Emily, 8 anos

«O amor é quando dizes a um rapaz que gostas da camisa dele e, depois, ele usa-a todos os dias.» Noelle, 7 anos

«O amor é quando um velhinho e uma velhinha ainda são amigos, mesmo depois de se conhecerem muito bem.» Tommy, 6 anos

«A minha mãe ama-me mais do que ninguém. Não vês mais ninguém a dar-me beijinhos para dormir.» Clare, 6 anos

«Amor é quando a mamã dá ao papá o melhor pedaço da galinha.» Elaine, 5 anos

«Amor é quando a mamã vê o papá bem cheiroso e arranjadinho e diz que ele ainda é mais bonito do que o Robert Redford.» Chris, 7 anos

«Amor é quando o teu cãozinho te lambe a cara toda, apesar de o teres deixado sozinho todo o dia.» Mary Ann, 4 anos

«Quando amas alguém, as tuas pestanas andam para cima e para baixo e saem estrelinhas de ti.» Karen, 7 anos

«Nunca devemos dizer 'Amo-te', a menos que seja mesmo verdade. Mas se é mesmo verdade, devemos dizer muitas vezes. As pessoas esquecem-se.» Jessica, 8 anos

E a última? O autor e conferencista Leo Buscaglia falou de um concurso em que ele teve de ser júri. O objectivo era encontrar a criança mais cuidadosa.

A vencedora foi um rapazinho de quatro anos, cujo vizinho era um velhote que perdera recentemente a sua esposa. Depois de ter visto o senhor a chorar, o menino foi ao quintal do velhote, subiu para o seu colo e sentou-se. Quando a mãe perguntou o que dissera ao vizinho, o rapazinho disse:

"Nada, só o ajudei a chorar!"


P.S. a mónica enviou o mail e eu tomei a liberdade de publicar é MARAVILHOSO

sexta-feira, maio 15, 2009

narcisismos...


correndo o risco de ignorar os direitos de autor e levar com um processo em cima!!! este foi o quadro que a querida equipa de professores (no sentido lato) me ofereceu junto com a história da fada té, no dia dos meus anos... deixou-me sem palavras e à 3ª linha da história senti que as lágrimas iam saltar por isso fechei o postal e mandei tudo almoçar a toque de caixa porque já estávamos atrasados. sei que decepcionei professores e alunos por ter conseguido conter a mistura explosiva de clorato de sódio com H2O é que já estava tudo de lencinho de papel na mão... mas também com prendas assim uma pessoa fica sensivel ;D

quarta-feira, maio 13, 2009

mais pessoas especiais que merecem...

... lugar de destaque!


PARABÉNS minha PIRULITA!!!

as pessoas especiais merecem...

... lugar de destaque!!!

ver aqui

segunda-feira, maio 04, 2009

coimbra de matos




hoje lembrei-me de ir ao google e colocar o nome do próprio para ver se encontrava por lá o meu professor...
nada mais longe são 1880 entradas mas das que fui vendo nem uma só me transmitia o que ele conseguia naquelas tarde de quinta feira já distantes do meu 4º ano no anfiteatro da escola. tinha a figura de um homem do norte e ao mesmo tempo de avô, uma presença forte, fumava cigarro atrás de cigarro (na altura em que ainda era permitido), ensinava a contar histórias, as palavras eram carregadas de afectos, respondia às nossas dúvidas por mais ridículas que fossem, parando sempre um momento para pensar e a nossa dúvida ganhava espaço no seu pensamento, parecia ter a ambição que as suas palavras nos fizessem pensar pelas nossas cabeças, bebíamos as suas palavras, mesmo quando utilizava vernáculo para dar mais força à mensagem (imagem) que nos queria transmitir, utilizava o humor, repetia algumas histórias mudando o contexto pequenos pormenores e elas parecia-nos sempre novas (ou não). a sua presença impunha respeito, respeito pelo homem, pela idade, pela sabedoria, pela inteligência, pelo sentido de humor, pelo tempo que nos dispensava, pela arte com que usava as palavras, pelo afecto. dizia-nos que qualquer mestre sonha ser ultrapassado pelo seu aprendiz pois só assim terá cumprido a tarefa a que se propôs... e nós acreditávamos! dizia-nos no seu papel de professor que quem sabe faz, quem não sabe ensina, falava-nos dos congressos de psicanálise paredes meias com os congressos de cabeleireiras onde passava os coffee breaks, uma vez que nas situações sociais as cabeleireiras eram bem mais divertidas e sorria um sorriso de criança já marcado pelo tempo e dizia muitas outras coisas que guardo na memória mas que reservo por me sentir uma privilegiada por ter tido a oportunidade de partilhar com ele esses momentos.

um dia quando tempos mais tarde me cruzei com ele no corredor do consultório ganhei coragem e disse-lhe meio envergonhada gostei tanto que tivesse sido meu professor, ele agradeceu e sorriu!

profissão: professor...

os meus pais foram ambos professores... talvez por isso ou só porque sim... lembro de vários professores que fui tendo ao longo da vida. desde a d. antónia professora da primária que dizia a teresa é muito inteligente se não fosse tão preguiçosa. depois no ciclo tive uma professora de educação visual a professora teodoelinda que me ensinou a pintar azulejos, mais uma de francês da qual não me lembro o nome (no ciclo também diziam a teresa é muito inteligente mas muito preguiçosa). chegando a santarém houve a professora teresa borges também de francês, a professora fátima vasquez que me ensinou que não contavam só as notas dos testes mas contava muito a participação para a nota final, a professora de matemática entre o 10º e o 12º ano que me deu um voto de confiança depois dos meus testes com classificação de 5, 7 e 9 no 1º período me deu 9 porque tinha a certeza que eu ia levantar as notas e levantei mesmo, a professora graça frestes e a professora ana violante de biologia, mais a professora de história graça galvão... até ao 12º muitos foram os professores que me marcaram a alguns tive a oportunidade de dizer o quanto foram importantes na minha formação enquanto pessoa. depois veio a universidade, desses guardo com saudade alguns destacando especialmente o professor Emílio salgueiro e o professor coimbra de matos quantas e quantas vezes pensei o quanto gostava de regressar ao ispa assim de surra só para me sentar no anfiteatro no meu de tantos outros e ter o prazer de os voltar a ouvir, voltar a pensar as suas palavras e os novos sentidos que foram ganhando ao longo de todos estes anos mas os meus horários nunca o permitiram. à casa da praia volto sempre que posso e aí tive uma equipa inteira de professores, mesmo os que não o eram me ensinaram muitíssimo, pela maneira de estar, de pensar, de contar as histórias passadas que se cruzavam com as histórias presentes e que moldaram a minha maneira de estar hoje na escola. escola onde continuo a aprender com muitos e muitos professores nos quais consigo rever características dos muitos que me foram marcando durante toda a vida!!!
um grande bem-haja por terem marcado a minha vida de forma tão indelével!

domingo, maio 03, 2009

há paixões que não duram tanto...

... como as laranjas que me ofereceram há 3 meses, vindas directamente da terra, sem corantes, nem conservantes. hoje voltei a deliciar-me com um maravilhoso sumo... foi o último... aguardo agora nova oferta!

sábado, maio 02, 2009