Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2009
importante é eles (alunos/crianças/jovens) não fazerem tudo o que querem, mas quererem tudo o que fazem!

eduoard claparede

noite com alma

Imagem
a noite começou em negrais, com direito a leitão e tudo, companhia de colegas de trabalho e amigos (professores e auxiliares da escola), regada com uma sangria maravilhosa, muitas estórias, gargalhadas e sorrisos.
de amarelo segui até casa da raka e do ima, onde tive o prazer de conhecer a D. Ana, uma querida, só podia, afinal é mãe dos dois. seguimos para o soul club, desta vez já de amarelo (eu e a raka, sem combinar nem nada) e roxo (o ima), só podia ser bom pressagio já que são cores complementares. o ambiente era bom, não se fumava onde não era permitido (problema para mim que tive que cumprir a lei, toda a gente sabe que as leis foram feitas para serem quebradas, mas não gosto de ser eu a dar o mote)! a música tinha alma (nem todas, mas a maioria), a pista estava cheia...
o ima espalhava magia (a lembrar os tempos do loft com os pandinhas logo ali ao virar da esquina) a raka e eu observávamos as movimentações (o decoro assim o exige) enquanto embalávamos no som da música e comentá…

em conversa com uma mãe...

... eu nasci portuguesa, só quando vim para portugal é que deixei de o ser.
pensei é estranho, para não dizer vergonhoso, roubarem a nacionalidade a alguém quando veio viver para a sede do "império"!

p.s. voltarei ao tema quando tiver oportunidade

quem vai a abrantes deixa Tomar atrás...

foi este o lindo ditado popular com que me brindaram quando contei a uma amiga onde tinha passado os últimos 3 dias. para não variar soltei uma gargalhada. foi tudo di bom. a actividade, os mininu, a animação, a equipa... nem me apetece contar vou guardar tudo para mim!!!

e se o antónio lobo antunes te oferecer um livro...

Imagem
... isso é o momento mágico do dia!!!
ir à feira do livro é um ritual que se repete ano após ano. tinha combinado fazê-lo hoje com um amigo. e foi mágico por muitos motivos... cheguei cedo e por isso aproveitei para comprar livro infantis com prefácio do coimbrita, como é que me tinham falhado estas edições. dirigi-me depois ao stand da bruáá e comprei o novo livro que me soou levemente a joão dos santos e à casa da praia...


segui até à orfeu negro para cumprimentar um amigo de há muito, ilustrador que muito aprecio (ver mais aqui) para lhe perguntar se podia utilizar uma dos seu desenhos neste post (sim já nessa altura sentia que a tarde passada na feira do livro se iria tornar memorável) e se caso eu escrevesse uma história ele poderia fazer uma ilustração, anuiu ao meu pedido de imediato e segui até ao final do corredor cheio de pessoas e de livros enquanto pensava que apesar da crise a feira estava cheia e isso só pode ser um óptimo sinal. entretanto, bip bip, era o d. acabadinho de…

ao telefone...

vendedor: bom dia Drª teresa fala do (nome da empresa) chegou a utilizar os nossos serviços no ano passado?
eu: bom dia! não!
v: porquê, drª teresa?
eu: esqueci-me de enviar a carta para marcar!
v: estou a telefonar à drª teresa porque hoje durante a tarde vamos voltar a oferecer-lhe um fim de semana, como a drª teresa já esteve connosco o ano passado, a drª teresa não vai ficar muito tempo, o objectivo é só a drª teresa ir lá e buscar o seu voucher, tem disponibilidade drª teresa?
eu: sim posso passar lá mas pode tratar-me só pelo nome
v: é prática aqui na empresa tratar as pessoas pelo titulo, drª teresa
eu: nesse caso terá que me tratar por mestre porque agora já não sou drª sou mestre!
v: muito bem mestre teresa (riso) drª teresa a que horas poderá passar por lá?
eu: por volta das 3, mas olhe que tal como no ano passado não vou comprar nada
v: não faz mal drª teresa queremos apenas dar-lhe a oportunidade de experimentar os nossos serviços!
eu: nesse caso, lá estarei!

a nossa senhora de fátima…

o amor é muito mais simples...

...do que à partida nos pode parecer... os adultos é que só complicam!!!

«Quando a minha avó ficou com artrite, não se podia dobrar para pintar as unhas dos dedos dos pés. Portanto o meu avô faz sempre isso por ela, mesmo quando apanhou, também, artrite nas mãos. Isso é o amor.»Rebeca, 8 anos«Quando alguém te ama, a maneira como pronuncia o teu nome é diferente. Tu sentes que o teu nome está seguro na boca dessa pessoa.»Billy, 4 anos«O amor é quando uma rapariga põe perfume e um rapaz põe colónia da barba e vão sair e se cheiram um ao outro.»Karl, 5 anos«O amor é quando vais comer fora e dás grande parte das tuas batatas fritas a alguém, sem a obrigares a darem-te das dele.»Chrissy, 6 anos«O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado.»Terri, 4 anos«O amor é quando a minha mamã faz café ao meu papá e bebe um golinho antes de lho dar, para ter a certeza de que o sabor está bom.»Danny, 7 anos«O amor é estar sempre a dar beijinhos. E, depois, quando já estás cansado dos beijinhos, ain…

narcisismos...

Imagem
correndo o risco de ignorar os direitos de autor e levar com um processo em cima!!! este foi o quadro que a querida equipa de professores (no sentido lato) me ofereceu junto com a história da fada té, no dia dos meus anos... deixou-me sem palavras e à 3ª linha da história senti que as lágrimas iam saltar por isso fechei o postal e mandei tudo almoçar a toque de caixa porque já estávamos atrasados. sei que decepcionei professores e alunos por ter conseguido conter a mistura explosiva de clorato de sódio com H2O é que já estava tudo de lencinho de papel na mão... mas também com prendas assim uma pessoa fica sensivel ;D

mais pessoas especiais que merecem...

... lugar de destaque!


PARABÉNS minha PIRULITA!!!

as pessoas especiais merecem...

... lugar de destaque!!!

ver aqui

coimbra de matos

Imagem
hoje lembrei-me de ir ao google e colocar o nome do próprio para ver se encontrava por lá o meu professor...
nada mais longe são 1880 entradas mas das que fui vendo nem uma só me transmitia o que ele conseguia naquelas tarde de quinta feira já distantes do meu 4º ano no anfiteatro da escola. tinha a figura de um homem do norte e ao mesmo tempo de avô, uma presença forte, fumava cigarro atrás de cigarro (na altura em que ainda era permitido), ensinava a contar histórias, as palavras eram carregadas de afectos, respondia às nossas dúvidas por mais ridículas que fossem, parando sempre um momento para pensar e a nossa dúvida ganhava espaço no seu pensamento, parecia ter a ambição que as suas palavras nos fizessem pensar pelas nossas cabeças, bebíamos as suas palavras, mesmo quando utilizava vernáculo para dar mais força à mensagem (imagem) que nos queria transmitir, utilizava o humor, repetia algumas histórias mudando o contexto pequenos pormenores e elas parecia-nos sempre novas (ou não).…

profissão: professor...

os meus pais foram ambos professores... talvez por isso ou só porque sim... lembro de vários professores que fui tendo ao longo da vida. desde a d. antónia professora da primária que dizia a teresa é muito inteligente se não fosse tão preguiçosa. depois no ciclo tive uma professora de educação visual a professora teodoelinda que me ensinou a pintar azulejos, mais uma de francês da qual não me lembro o nome (no ciclo também diziam a teresa é muito inteligente mas muito preguiçosa). chegando a santarém houve a professora teresa borges também de francês, a professora fátima vasquez que me ensinou que não contavam só as notas dos testes mas contava muito a participação para a nota final, a professora de matemática entre o 10º e o 12º ano que me deu um voto de confiança depois dos meus testes com classificação de 5, 7 e 9 no 1º período me deu 9 porque tinha a certeza que eu ia levantar as notas e levantei mesmo, a professora graça frestes e a professora ana violante de biologia, mais a pro…

há paixões que não duram tanto...

... como as laranjas que me ofereceram há 3 meses, vindas directamente da terra, sem corantes, nem conservantes. hoje voltei a deliciar-me com um maravilhoso sumo... foi o último... aguardo agora nova oferta!

os meus docinhos...