quarta-feira, abril 29, 2009

a beleza das coisas está nos olhos de quem as vê...

estou um ano mais velha e não vou esquecer nunca o dia e as comemorações do meu 32º aniversário. na escola a comemoração foi com os meus meninos, os meus professores e mais muitos meninos, professores e auxiliares da escola. ninguém me manda fazer anos no mesmo dia da escola onde trabalho! foi uma festa bem bonita para qual toda a gente colaborou entre as birras dos meus docinhos, a sua rudeza já familiar, o arrastar das mesas de um lado para outro, as minhas próprias birras (afinal a bebé era eu), uma animação, o de sempre que eu gosto tanto. muita gente me deu os parabéns especialmente porque brindei as pessoas de quem eu gosto particularmente com um cumprimento especial " podes-me dar os parabéns porque eu faço anos!". está bom de ver que faço a festa, mando os foguetes e apanho as canas... felizmente há gente que atura a minha criancice e até acompanha! mesmo quem não pode marcar presença pessoalmente esteve comigo e foi muito bom! tive muitas surpresas boas, que vou reservar para mim. houve bolo de morangos com chantilly, rifas, venda de sumos e bolos, pipocas muitas pipocas, cachupa, roda de kuduro, parabéns na sala de alunos e uma prenda muito especial...

a história da fada té

era uma vez uma menina chamada té.
té tem uns olhos muito expressivos e pestanudos, um sorriso lindo que lhe ilumina o rosto todo e uma palavra preferida: MARAVIHOSO!
o que a té não sabe é que é mesmo um ser especial!
ela ainda não sabe porque é uma menina gentil e despretensiosa de forma espontânea e genuína. assim sem dar por isso ou realmente como quem não quer a coisa...
a sua forma de olhar o mundo encontra sempre o melhor e mais positivo nos outros... gosta muito de ajudar e está sempre disponível. a té tem a mania de inventar dias para tornar significativos e presentes no quotidiano detalhes pormenores ou particularidades que o comum das pessoas não costuma valorizar.
como todas as meninas e todos os meninos, a té foi crescendo e um dia quis ser biologa marinha para salvar espécies em vias de extinção e descodificar a forma como os golfinhos comunicam.
já depois de iniciar este percurso foi mais forte um outro apelo: o da comunicação entre as pessoas! e a té decidiu ser psicóloga e ajudar as pessoas a descobrirem o significado dos afectos. afinal tudo passa ou deveria passar por aqui...
foi essa invulgar capacidade de se por no lugar do outro que se lhe deparou como um dom, assim quase por magia... ao estilo das varinhas de condão! a parecer por acaso, por ser mais intuido do que realmente reconhecido. não fora depois, as memórias da infância e das conversas com a avó...
agora tudo fazia sentido e na verdade tinha estado sempre dentro dela: a vontade, o sonho e não deixar de acreditar que é possivel.
um dom. como as fadas. MARAVILHOSO

a beleza das coisas (pessoas) está mesmo nos olhos de quem as vê

a todos um grande bem haja por tornarem o meu dia tão especial...

depois houve um jantar não menos maravilhoso e divertido!

Sem comentários: