sexta-feira, novembro 28, 2008

«Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho.
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim.»


Sophia de Mello Breyner Andresen
Dia do Mar, 1947

Sem comentários: