quarta-feira, dezembro 31, 2008

de 2008...

... espero que fique o que foi realmente importante e que cresça até ao limite do infinito, que do sítio onde me vejo hoje ainda não consigo perceber exactamente a tudo o que me refiro...

no entanto, há momentos transparentes que ajudam a que alguns ao observar de longe me digam: - tu és mesmo feliz, não és? a minha resposta é curta: sim! mesmo não tendo a certeza que isso seja a verdade, toda a verdade e nada mais que a verdade, será isso realmente importante?!? (a ideia que os outros têm de mim?!?) mas a felicidade não se compra e eu tenho a ingenuidade e genuinidade suficiente para me sentir feliz em muitos momentos da minha vida...

momentos como os de ontem
- em que escolhi os padrinhos para um filho que não faço ideia se alguma vez terei (mas gostava muitíssimo, não a qualquer custo), em que disse tudo o que sentia a alguém que me importa e que percebi que o mundo onde não pertenço esbate a minha felicidade mas não me prende... em que fui oficialmente convidada para ser madrinha de um rebento (que também ainda não existe fisicamente) devem andar os dois de mãos dadas perdidos algures num mundo paralelo onde vivem todos os bebés imaginados e desejados, que esperam só uma oportunidade para se materializarem... em que ouvi que era a melhor amiga de alguém que também o é para mim levas o óscar mas neste grémio existem mais pessoas que ocupam lugares igualmente importantes o meu coração é uma pensão com muitas penthouses
- em que jantei com com outra laureada com o mesmo galardão só pelo prazer de estarmos juntas a conversar
- em que do outro lado da linha estava mais uma forte candidata ao prémio e falámos das coisas da vida e de tudo mais o que nos apeteceu
- em que marcaram presença algumas das pessoas mais importantes da minha vida por isto ou por aquilo só porque sim
tudo isto porque dou ao tempo o valor e a dimensão que ele realmente tem e trato de o aproveitar da melhor maneira que sei e posso com as pessoas que me fazem feliz


Sem comentários: