sábado, maio 29, 2010

brincar às escondidas

há um tempo... aprendi a fazer crocodilos de missangas com um professor com paciência de santo, que me disse algures no meio que era boa aluna e "gosto de ti" respondi-lhe que também gostava dele senão não estaria ali a aprender com ele (maravilhoso como os putos sabe que uma pessoa aprende mais facilmente se gostar de quem o está a ensinar) e como descobriu sózinho sem ninguém lhe explicar que o segredo de uma relação seja de que natureza for, está em ser directo e não esconder os sentimentos... existiram momentos em que quase nos zangámos conversamos enquanto pacientemente me explicava primeiro 1, depois 2 em cima e 2 em baixo, isto é como costurar, disse-me que tinha aprendido sózinho, eu disse-lhe que aprendi a costurar a observar a minha avó mas que me chateava o facto dela nunca me deixar mexer na máquina e continuamos a conversar e ele disse que não se lembrava de como me tinha conhecido, sorte a dele que eu me lembrava de cada momento e não precisei de avançar para além da terceira vez que nos cruzamos, acreditou logo que o lugar dele em mim está guardado. por essa sucessão de acontecimentos é que pedi para trabalhar contigo, é que eu escolhi-te e tu escolheste-me a mim, na verdade foi por interesse eu sabia que me podias ensinar a fazer coisas que eu não sei. mais à frente fizemos um intervalo combinámos voltar a encontrar-nos em 10 min, ele foi fazer as coisas dele e eu as minhas. mas por falta de confiança e sem combinar, acabámos por jogar às escondidas, eu encontrei-o e ele desapareceu. resolvi que o melhor era ir fazer o que tinhamos combinado e enquanto esperava na fila do mini-preço ele encontrou-me. confiou mais ele em mim, que eu nele, inseguranças minhas. quando acabei de fazer o crocodilo que não ficou como ele queria, porque resolvi inventar um bocadinho, disse-lhe não lho dava porque este era para oferecer e ele soube desde logo para quem era! disse-me simplesmente "está bem!" com um sorriso cúmplice. porque se eu já há algum tempo o observava, tb era observada a uma distância segura!
há miúdos que vão lá pelo cheiro, pela intuição. podem não saber ler as letras, mas lêem como ninguém os estados de alma. pode ser que um dia conte mais sobre o que já aprendi com este miúdo maravilhoso! se ele aprendeu alguma coisa comigo, só ele sabe! não lhe vou perguntar, mas tenho esperança que sim!

1 comentário:

nanabrites disse...

os objectos que crio têm quase sempre uma história. mas nunca tão rica como esta