quarta-feira, maio 12, 2010

parece que este papa tb faz milagres...

apesar da minha fé em Deus andar um pouco abalada, facto é que ontem tive a prova que milagres existem. fui ensinada a acreditar na justiça por muito que, às vezes, a ache injusta! ontem talvez pela visita do papa, porque o meu puto merece ou simplesmente porque sim a justiça/juiz acreditou que às vezes deve dar-se segundas oportunidades.
não sei o nome do juiz, mas é um homem digno da profissão que exerce. idade avançada, semblante carregado, tem presença de juiz, daqueles que sabe tudo, mesmo tudo do seu metier e de todos os outros dos quais depende a sua função. agora estou a escrevê-lo, porque estou contente, mas já antes da leitura da sentença, tinha perguntado à advogada como era o trabalho dele e com o que ela me disse, fiquei mais descansada, porque uma pessoa competente, não deixa pontas soltas, leva o seu trabalho a sério, coloca-se em causa e ele o Meritíssimo Juiz fez tudo isto, o meu puto na primeira sessão estava condenado a prisão efectiva, não foi preciso ninguém me dizer percebi no semblante do juiz principal e no desdém com que se dirigiu à assistência, ou seja, a mim e à minha colega. Saímos da sala e a advogada veio dizer-me é um caso perdido. eu e a minha colega pensamos, perdido por 100 perdido por 1000, vamos fazer o nosso trabalho e depois se vê... e fizemos, e na segunda audiência, já éramos mais na assistência, esperei para ser arrolada como testemunha e não fui, mas deixei a minha exposição por escrito (nesse dia comecei a perceber que estava perante um juiz competente), na terceira a nossa equipa compareceu em peso e tive que sair a meio por não conter as lágrimas, dado que já aprendi que no tribunal não se deve chorar. no caminho preparei o meu puto para o pior e descansei, disse-lhe que não se preocupasse porque fosse qual fosse o resultado não íamos desistir dele. ontem, antes da audiência disse à advogada que depois da decisão queríamos interpor recurso. disse ao puto que rezasse porque eu já não me lembrava como é que se fazia (sou uma mentirosa), a mãe do puto rezou e ele acho que também, que nesta altura já só o papa é que lhe podia valer e sorte a dele o sr bento andava por cá. e depois ouvimos a deliberação e olha que o juiz também deve ser católico e nesse momento a justiça divina e a justiça dos homens deram as mãos. não o meu puto não é um coitadinho, desgraçado, que não sabe o que faz, fez mal e tem que pagar por isso. mas como lhe disse o meritíssimo veja lá como é que se comporta daqui para a frente.
o puto ficou sério e demorou até conseguirmos arrancar-lhe um sorriso, de tão baralhado que estava! a ligação da mãe dele a DEUS, a ligação, ainda pouco consolidada, dele à Escola, a competência de uma equipa que não desiste assim às primeiras contrariedades teve efeito e embora as expectativas fossem as piores, o Meritíssimo Juiz conseguiu surpreender-nos a todos!!! obrigada nos ajudar a ter fé na Justiça e na reinserção social, obrigada pela sua competência, obrigada por fazer o seu trabalho de forma tão justa!

Sem comentários: