e se chegares a casa de rastos e leres...

Que a levasse ao cinema e a deixasse enfiar a cabeça no seu ombro, e chorar muito quando o filme acabava mal, e os heróis eram infelizes para sempre.Era tão bonito ser infeliz para sempre no cinema.
(…) e o coração das pessoas ficava muito apertado, e saíam da sala a acreditar no amor eterno que as esperava cá fora.

encontrado no facebook no grupo quem lê sophia de mello breyner andresen

Comentários

Mensagens populares deste blogue

...

como tu nunca...