domingo, junho 27, 2010

paixão, segundo o dicionário, sofrer ou suportar uma situação dificil

há uns tempos já largos, que mais parecem infinitos... lembro-me de ter dito a propósito de alguém, em situação profissional, que as pessoas apaixonadas ficam parvas...
disse-o porque sou desbocada, porque gosto de descomplicar os discurso hermético dos psi e porque também eu gosto de cultivar a minha parvoíce, não só quando estou apaixonada, para que se isso acontecer... me apaixonar, não se note grande diferença!
e não nota mesmo... nem eu notei e estava!
engraçado já tinha passado tanto tempo desde a última paixão séria, que não percebi que era isso que me estava a acontecer... as minhas paixões antigas foram fortes no inicio duraram o tempo que duraram, acabaram por isto ou por aquilo sem levar a grande sítio! umas vezes por medo, outras porque não tinham que durar...
desta vez foi diferente sentia que teríamos todo o tempo do mundo, não havia razões para pressas e só na ausência compreendi que aquilo que sentia era o que chama estar apaixonada de forma madura, diferente de todas as outras vezes, daí não ter reconhecido o sentimento...
e agora?!?! piiiiiiiiiii... decidi desligar a respiração assistida às 23.08 do dia 27 de junho do ano de 2010, o desligar da máquina peca por tardio...
sempre ouvi dizer, o que não tem remédio, remediado está... que mania que eu tenho de ir contra a cultura popular

Sem comentários: